Blog do faraohh

Assuntos diversos, inclusive tecnologia.

Relatos sobre a LinuxCon

leave a comment »


Estivemos no Hotel WTC Sheraton em São Paulo, na LinuxCon (http://events.linuxfoundation.org/events/linuxcon-brazil/pt/inicio), o evento seguiu com palestras, keynotes e discussões (estilo entrevista) em uma área comum na parte da manhã e 5 palestras concorrentes na parte da tarde, logo no cadastramento houve problemas técnicos, além das enormes filas que se formaram a organização do evento não conseguia identificar os inscritos, acabaram liberando o cadastramento para depois das palestras de abertura. Representamos a UFG no evento e tivemos a oportunidade de interagir com membros famosos da comunidade Linux, eu particularmente, gosto muito da filosofia da comunidade de SL, o pessoal estava inspirado, logo no primeiro dia, no painel de discussão: Linux, Present and Future com Linus Torvalds, criador do Linux; Andrew Morton, mantenedor oficial do kernel Linux e Jim Zemlin, diretor executivo da Linux Foundation relembraram o início que é sempre curiosidade para os novatos e como as coisas se tornaram grandes, enormes ao ponto do entrevistador que fez a seguinte pergunta: O Bill Gates e o Steve Jobs estão podres de rico e fizerem menos que vocês (há controvérsias), vocês são loucos de fazer isso de graça? O Andrew respondeu, bem quando eu morrer eu gostaria que escrevessem na minha lápide “Alguém que fez alguma coisa útil”, e eu lhe dei uma salva de palmas!

No primeiro dia acompanhei as seguintes palestras:

1. Transmissão da Copa do Mundo FIFA 2010 na Globo.com, Ernesto Thorp.

O palestrante discorreu sobre como a Globo atacou o problema de streaming de vídeo para transmissões da copa de 2010, infraestrutura e etc, colocou que foi surpreendente os acessos pós copa no jogo que não foi televisionado contra os Estados Unidos, também era de se esperar quem não queria ver o que o Dunga não teve coragem de fazer…

2. Ambiente virtualizado com oVirt – O menor cliente Linux para a computação em nuvem, Ricardo Marin Matinata.

Confesso que cometi uma gafe, confundi o oVirt (https://fedorahosted.org/ovirt/) que é uma ferramenta de gerenciamento de VM com oVirt ambiente virtualizado robusto, minimalista, gerenciável e escalonável, a partir de uma distribuição Fedora Linux comum, então fiquei um pouco frustrado mas foi “mea culpa”.

3. Free Cloud Alliance: A computação em núvem de código aberto para aplicações de missão crítica, Rafael Manhaes Monnerat.

4. Construindo uma plataforma de conferência web com SL, Erivelton Rodrigues Nunes.

O palestrante abordou algumas soluções para webconferencia em Linux, gostei muito da tabela comparativa entre soluções/capacidade/funcionalidade tudo apontou para o OpenMeetings (http://code.google.com/p/openmeetings) inclusive já acertamos de disponibilizarmos esse serviço aqui na Universidade.

5. Inclusão do suporte para o idioma português do Brasil no sintetizador de voz Festival, Fernando Auil.

O palestrante de sotaque espanhol, acadêmico da USP, mostrou ter bastante capacidade técnica fazendo literalmente soldas em software de padrões e reconhecimento de voz fiquei interessado porém pareceu muito difícil fazer tudo isso falar a mesma língua (desculpem o trocadinho), concordamos também que existe uma lacuna entre teoria acadêmica e prática mercadológica e a conclusão é óbvia, seguir no caminho do meio.

6. Clusters Linux de Alto desempenho na Petrobras, Luiz Rodolpho Rocha Monnerat.

O palestrante (http://www.cos.ufrj.br/~monnerat/) foi conciso, usou o tempo com tremenda habilidade, tocou nos assuntos mais interessantes e discorreu com elegância, foi surpreendente ver a evolução do clusters de desktops para computação heterogênea e o uso GPU’s, particularmente foi a melhor palestra do evento, é bom informar que o cluster da Petrobras já esteve entre os Top100 (os 100 maiores do mundo).

No segundo dia, a discussão Linux Kernel Panel com James Bottomley, Novell; Christoph Hellwig; Ted Ts’o, Google; Thomas Gleixner; Moderada por Jon Corbet, Linux Weekly News falaram sobre a motivação de cada um em usar e compartilhar o trabalho no Linux, a tendência é prazer, desafio e superação. Keynote: Consumerization of IT and Its Implications For Open Source Jane Silber, CEO da Canonical discorreu sobre Linux nos desktops e integração entre repositório de aplicativos e os usuários, concluiu que o Linux no desktop é um caminho sem volta mas nós já sabíamos disso. :-) Keynote: Where Are Linux Filesystems Going? Ted Ts’o , Google, para mim esse cara é um gênio o parte que mais me chamou a atenção é sobre uma nova tecnologia de um híbrido de RAM e SSD que seria um RAM não volátil coisa para no mínimo daqui a 5 anos, tomara que não menos. :-P

Na parte da tarde assisti as seguintes palestras:

1. Realidade aumentada na plataforma Linux, Alessandro de Oliveira Faria.

Como gosta de ser chamado o pastrante Cabelo, falou sobre realidade aumentada com ARToolKit, uma ferramenta para esse fim, demonstrou com criar os marcadores, calibrar a câmera e brincar com a tecnologia, mostrou também como funciona o jogo Levelhead (http://ljudmila.org/~julian/levelhead/) muito interessante.

2. Hardening Linux Servers, Marta Vuelma.

Administradores de sistema e de redes são em sua maioria extremamente preocupados com segurança e não poderia ser diferente, senha como root, toor, 1234… e etc são comuns para usuário leigos, o que a palestrante não admite é pessoas da área cometerem esses sacrilégios, abordou também monitoramento de sistemas, IPS, IDS, firewall fullstate, firewall de aplicação e etc, boa palestra ponto para mulheres na tecnologia.

3. Ginga-NCL: Middleware de referência para TV digial, Marcelo Moreno.

TV digital brasileira tem que ter ginga e com certeza o Ginga-NCL é fabuloso, parece que os caras pensaram em tudo, deste a estrutura até o acabamento, vale lembrar que Ginga usa Lua que é uma linguagem de programação brasileira, já esteve entre as Top10 do ranking Tiobe. O palestrante mostrou como seria um programa de auditório com interação entre o telespectador, é muito interessante, além de ser possível a interação com outros dispositivos ao mesmo tempo controlando o que passa na TV, seria algo como do meu celular manipular as opções da TV sem atrapalhar que está assistindo, no meu ranking é a segunda melhor palestra do evento.

4. Automação e administração de Data Centers com Linux, Diogo Carlos Fernandes.

Foi demonstrado como a IG administra seus Data Centers, basicamente o que o Diogo e sua equipe fez foi colocar algumas soluções para trabalharem juntas, como é de se esperar a parte mais difícil é homogeneizar o ambiente, anotamos algumas das soluções que ele utilizou o que não gostei é que ele fala muito compassado e atrapalhou no tempo da palestra, que não tira o brilho da palestra que foi muito útil.

5. It’s Really Time for Real-Time, Thomas Gleixner.

O Thomas é um desenvolvedor do kernel do Linux, a qualidade técnica desses profissionais estão em outro nível, ele falou do atual estágio do kernel em tempo real e que o Linux já pode ser usado em cirurgias médicas ou controlando laser em indústrias, deixou claro e demonstrou alguns problemas ainda insolúveis por enquanto.

6. Desenvolvimento de mão de obra qualificada em Linux e SL no Brasil, Jim Lacey.

Todos sabemos que a LPI é a organização sem fins lucrativos que certifica profissionais com conhecimentos em GNU/Linux, Jim é Diretor Executivo da LPI valorizou muito os profissionais brasileiros e acredita que o campo ainda é vasto para crescimentos e oportunidades, adiantou que haverá novas certificações entre instituições com profissionais multi-competências como por exemplo: LPI+CISCO.

O evento foi muito bom e tive a oportunidade tietar, tirei um foto com Andrew Morton.

Andrew Morton

Andrew Morton, Kernel #2

Na hora do almoço tive a oportunidade de conhecer o “Gleydson Mazioli da Silva”, para quem não conhece ele é autor do Guia Foca GNU/Linux (http://focalinux.cipsga.org.br/).

Gleydson Mazioli

Gleydson Mazioli do Guia Foca Linux

Ganhei uma revista “Linux Magazine” autografada do Jon Maddog Hall.

Jon Maddog Hall

Jon Maddog Hall, The man

Perguntei a ele se ele usa EMAKS ou VI e a resposta é clássica, “Eu sobrevivia sem nenhum deles.” podia ter ido embora sem essa. :-(

Abraços!

Written by Marcello Moura

08/09/2010 às 14:49

Publicado em geral

Tagged with

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: